ZÉ RAMALHO e sua “Antologia Acústica”

Fala aí pessoal, tudo bem? Vamos falar de MPB? Pois bem, hoje é a vez da nossa música nacional ser lembrada: Antologia Acústica, disco do artista que mais gosto, ouço e admiro na MPB, José Ramalho Neto. Mais conhecido como Zé Ramalho, o paraibano ilustre é de Brejo do Cruz, 68 anos, primo da cantora Elba Ramalho e um dos nossos maiores artistas da MPB.

O disco em comemoração aos seus 20 anos de carreira é uma coletânea de seus grandes sucessos. Foi lançado em 1997 e a aceitação foi tão grande que colocou Zé Ramalho de volta à grande mídia e com isso conseguiu novos fãs que se identificaram com o som único e recheado de ritmos nordestinos.

Zé Ramalho no disco Antologia Acústica MPB

Muitos artistas participam do disco “Antologia Acústica”

O álbum duplo teve velhas músicas mas com novos arranjos. Vendeu cerca de 750.000 cópias e até o momento é o disco de maior vendagem do nosso grande Zé. Eu destaco os artistas que participaram desse disco: Geraldo Azevedo, Dominguinhos, Roberto Frejat e Robertinho do Recife, que inclusive produziu o álbum e tocou na grande maioria das faixas.

“Krig-ha Bandolo”, o primeiro do “Maluco Beleza”, RAUL SEIXAS.

MPB com ALCEU VALENÇA e seu grande clássico, “Cavalo de Pau” (1982).

Zé Ramalho no disco Antologia Acústica MPB
Zé Ramalho

“Avôhai” e “Chão de Giz” estão na coletânea de Zé Ramalho

No disco 01 (Que é o meu preferido…) vou citar algumas faixas e algumas curiosidades delas. Temos logo de saída um de seus principais  hits, “Avôhai”, que é o primeiro grande sucesso da carreira do cantor e foi feita em forma de homenagem ao seu avô que o criou após a morte do seu pai por afogamento quando Zé tinha 09 anos de idade.

Logo em seguida temos “Chão de Giz”, um hino da MPB, que foi feita graças a uma paixão avassaladora de Zé por uma mulher casada de João Pessoa (PB), em 1977, e que nessa versão acústica conta com o brilhante Roberto Frejat no violão solo.

Vida difícil de Zé Ramalho foi inspiração para sucessos

Destaco também a versão de “Vila do Sossego”, um dos seus primeiros sucessos e cujo nome faz referência aos anos 70 quando Zé viajava entre Rio de Janeiro, Sul e Nordeste, em seu início de carreira. Até que ele alugou uma casa na Praia de Manaíra, em João Pessoa, e fixou uma placa com o nome Vila do Sossego.

“Eternas Ondas” é mais um clássico da MPB e regravada por vários artistas. Porém, essa canção foi dada por Zé Ramalho ao rei Roberto Carlos em 1980, mas ele não a colocou num disco. Após isso, Raimundo Fagner a gravou e colocou em seu álbum Eternas Ondas (1980). Além de Fagner, o cantor americano Ray Conniff também gravou a música em 1982.

“Garoto de Aluguel” é uma das canções mais conhecidas de Zé Ramalho

A faixa “Garoto de Aluguel” é pra mim a melhor música de todo o disco, com uma versão incrível e melhor até que a original. É a música na qual Zé Ramalho retrata o tempo que estava sem grana e passando necessidade no Rio de Janeiro. Naquela época, por um breve período, Zé Ramalho viveu a experiência de vender seu próprio corpo.

Já no disco 02 destaco “Admirável Gado Novo”, trilha sonora da novela O Rei do Gado, da Rede Globo, em 1996. Esse é outro grande sucesso, mas a música é de 1979 e a origem da canção foi no tempo das dificuldades de Zé Ramalho no Rio. Ele chegou a passar fome quando tentava se estabelecer como artista entre RJ e SP. O título da música também vem do livro Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. Na versão acústica, Dominguinhos toca acordeom na canção.

Zé Ramalho inspirado em cordel, poemas e Bob Dylan

“Bicho de 7 Cabeças”, que é a única música instrumental do disco, conta com Geraldo Azevedo no violão e tem um clima bem flamenco.

A música “Mulher Nova Bonita e Carinhosa Faz o Homem Gemer Sem Sentir Dor” tem origem nos versos de cordel e livros de poemas, de cantores e repentistas de Pernambuco. A música ganhou uma versão muito bonita e com vocal feminino de Roberta Little. “Batendo na Porta do Céu” é um cover para “Knockin’ On Heaven’s Door”, de Bob Dylan.

Disco 01:

  1. Avôhai
  2. Chão de Giz
  3. Beira-mar
  4. Vila do Sossêgo
  5. Canção Agalopada
  6. A Terceira Lâmina
  7. Eternas Ondas
  8. Garoto de Aluguel
  9. Taxi Lunar
  10. Kryptônia

Disco 02:

  1. Frevo Mulher
  2. Banquete de Signos
  3. Força Verde
  4. Admirável Gado Novo
  5. Galope Rasante
  6. Bicho de 7 Cabeças
  7. Mulher Nova, Bonita e Carinhosa, Faz o Homem Gemer Sem Sentir Dor
  8. Pepitas de Fogo
  9. Jardim das Acácias II
  10. Batendo na Porta do Céu

Repente, frevo e forró se misturam em “Antologia Acústica”

Antologia Acústica é um álbum que possui uma sonoridade bem diversificada, com repente, forró, frevo, até a mistura deles, aparecem bem destacados e o resultado foi de excelente qualidade. Além disso, Zé Ramalho aparece em ótima forma, com sua voz inconfundível e mostrando toda sua qualidade como compositor, arranjador, intérprete e instrumentista em músicas que já eram sucesso antes e depois do disco ficaram mais conhecidas com novas versões.

O disco Antologia Acústica não abandona o lado místico, esotérico, das coisas absurdas e com referências a outros artistas, que sempre esteve presente nas obras do nosso grande nordestino Zé Ramalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *