“Skank”: clássico primeiro álbum dos mineiros do SKANK!

O Ano era 1992 e naquela época a Música Popular Brasileira estava passando por uma mudança relevante, acabaram-se os anos 80 e as grandes bandas daquela década, principalmente as de Rock estavam passando por mudanças, seja por novos estilos sonoros ou encerrando suas atividades. Graças a esse cenário as gravadoras não estavam mais com suas atenções 100% voltadas para o Rock, com isso novas bandas tocando outros estilos foram aparecendo e nessa nova leva de bandas nacionais, uma vindo de Belo Horizonte (MG) acabaria entrando no cenário nacional, mesmo literalmente se lançando, apostando principalmente no Reggae e logo cairia no gosto popular, estamos falando aqui do Skank, dos mineiros SAMUEL ROSA, HENRIQUE PORTUGAL, LELO ZANETI e HAROLDO FERRETTI, que lançava de forma independente seu primeiro álbum, o autointitulado “Skank” que conta com grandes clássicos da história do quarteto e seria o primeiro de vários sucessos dos mineiros.

“Skank” tem 11 faixas em aproximadamente 43 minutos de puro Reggae / Ska / Dub e teve uma grande aceitação, primeiramente em sua cidade natal, Belo Horizonte, quando tiveram que suar muito a camisa, já que o álbum foi lançado de forma totalmente independente, com a banda fazendo divulgação local em lojas de CD, rádios, imprensa em geral (Até em SP e RJ), além de shows e outros eventos. A própria banda não acreditava muito no sucesso comercial, como o próprio Samuel falou antes: “Eram quatro mineiros branquelos  tocando reggae, quem ia ouvir isso?”. Um detalhe é que mesmo a tecnologia de CD sendo muito nova no país e eles sequer tinham um aparelho em casa, lançaram mesmo assim nesse formato e deu certo.

Em 1993, depois de assinarem um contrato com uma grande gravadora, o álbum foi remixado e relançado. A banda que tem até hoje sua formação original era: Samuel Rosa (Vocal e Guitarra), Henrique Portugal (Teclados e Backing Vocal), Lelo Zaneti (Baixo e Backing Vocal) e Haroldo Ferretti (Bateria). Desse trabalho surge a grande parceria de sucesso entre Samuel Rosa e Chico Amaral nas composições e letras das músicas, porém nesse disco nem todas as canções são deles, já que a banda fez versões para canções de Bob Dylan, Jorge Benjor e Paul Anka.

Skank reggae

FAIXAS:

  1. “Gentil Loucura” (Affonso Jr. / Chico Amaral) – 4:00
  2. “In(dig)Nação” (Samuel Rosa / Chico Amaral) – 4:02
  3. “Salto no Asfalto” (Samuel Rosa / Fernando Furtado) – 4:10
  4. “Macaco Prego” (Rosa / Amaral) – 2:55
  5. “Tanto (I Want You)” (Bob Dylan, versão: Chico Amaral) – 4:05
  6. “Homem Q Sabia Demais” (Rosa / Amaral) – 3:55
  7. “Let Me Try Again” (Paul Anka / Sammy Cahn ) – 3:02
  8. “Baixada News” (Rosa / Amaral) – 4:50
  9. “Réu & Rei” (Rosa / Amaral) – 4:00
  10. “Cadê o Pênalti?” (Jorge Benjor) – 3:57
  11. “Caju Dub” (Samuel Rosa / Fernando Furtado) – 3:50

Desse grande disco saíram alguns dos maiores hits da carreira do Skank, a segunda faixa do álbum, “In(dig)Nação”, é um dos sucessos do álbum e um clássicos da banda, a letra que fala da indignação com o nosso cotidiano, onde muita coisa errada acontece e nada é feito para combater essa situação. Essa canção ficou marcada na época, pois ela foi usada como uma das canções de protesto no impeachment do então presidente da república Fernando Collor de Melo, sendo cantada a plenos pulmões pelos caras-pintadas que estavam nas ruas protestando contra o presidente. “Tanto (I Want You)” é uma canção que fala de amor e é uma cover da música “I Want You” de Bob Dylan, uma das referências da banda. A canção fez sucesso na época e faz até hoje, sendo um dos clássicos do Skank e uma das mais queridas pelo público. Mesmo depois do lançamento em 1992, “Tanto” voltaria a ter muito sucesso com a versão com outros arranjos em 2001.

“Homem Q Sabia Demais” é mais um dos sucessos desse trabalho, tanto que foi até trilha sonora da novela “Olho No Olho” (1993) da Rede Globo. Sua letra é mais uma que fala de relacionamentos. “Let Me Try Again” é uma canção de amor escrita por Paul Anka, mas que fez muito sucesso na voz de Frank Sinatra e o Skank gravaria como cover, de uma forma bem ao estilo Skank, com sua levada mais Dub / Reggae e que ficou muito bem feita, tendo também tocado muito nas rádios. Pra fechar os sucessos desse álbum temos “Baixada News” uma canção que fala da dificuldade de uma dona de casa em manter sua família, dos sofrimentos que ela passa e da sua visão de futuro. Outras canções de destaque do álbum são “Gentil Loucura” e “Cadê o Pênalti?” de Jorge Benjor.

Reggae Brasileiro com CIDADE NEGRA: “Sobre Todas as Forças”.

“Exodus”: a obra-prima do Rei do Reggae, BOB MARLEY.

O início foi difícil mas o Skank deu a volta por cima e se tornou uma das grandes bandas dos anos seguintes, indo além do reggae e dub, tocando muito bem outros ritmos como o rock, pop e canções românticas. Na década de 90 a banda lançaria mais 03 álbuns e se consolidaria como uma das mais importantes do Brasil, apesar disso o estilo do começo de carreira foi cada vez menos tocado pela banda, que hoje foca mais no Pop Rock. Belo trabalho dos mineiros e um dos grandes álbuns dos anos 90 e porque não do reggae nacional dos anos 90. Vale muito a pena ouvir “Skank” e relembrar os grandes momentos da banda em seu início de carreira, RECOMENDO!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *