Uma viagem com ROUPA NOVA (1985)

O Roupa Nova é uma das bandas mais populares e adoradas pelos brasileiros. Já são mais de quarenta anos de estrada, milhares de discos vendidos e dezenas de sucessos. Também é uma das bandas que mais tem músicas em trilhas sonoras de novelas e nunca mudou sua formação original: Paulinho (voz e percussão), Serginho Herval (bateria e voz), Kiko (guitarra), Nando (baixo), Cleberson Horsth (teclados) e Ricardo Feghali (teclados e voz). Porém, lamentavelmente, em 14.12.2020, Paulinho faleceu aos 68 anos após complicações com a COVID-19.

Roupa Nova: o começo

Antes do sucesso nacional e internacional, eles tocavam em bandas diferentes em bailes cariocas. A banda “Los Panchos Vila” era formada por Paulinho, Kiko e Feghali,. Já “Os Famks” com Cleberson e Kiko. Serginho Herval, que já tocava e cantava na noite carioca, entrou nessa fusão dos dois grupos e também mudaram o nome para “Os Motokas”. Logo começaram a gravar vários LPs com versões covers de sucessos da época.

Em 1980 foram convencidos pelo executivo Mariozinho Rocha, que trabalhava na gravadora Philips, a mudar de nome e como eles foram apadrinhados pelo grande Milton Nascimento. Escolheram o nome de uma das canções de Milton para ser o novo nome da banda: Roupa Nova, do disco “Sentinela” (1980), e aí o resto é história.

Com o passar do tempo, o Roupa Nova foi lançando discos, começando a ter sucesso e emplacando hits nas rádios. No entanto, o álbum definitivo para eles veio em 1985, quando gravaram “Roupa Nova”, também conhecido por “Roupa Nova 1985” que trouxe vários de seus grandes sucessos e chegou a vender mais de dois milhões e duzentas mil cópias. A base desse disco foi o romantismo, uma coisa que o grupo sempre fez muito bem e o ajudou a ser uma das bandas mais populares da história do Brasil.

CANÇÕES:

FaixaCompositorTempo
1“Show de Rock N’ Roll”Michael Sullivan / Paulo Massadas3:43
2“Seguindo no Trem Azul”Cleberson Horsth / Ronaldo Bastos3:41
3“Tão Rica”Joe / Tavinho Paes3:08
4“Corações Psicodélicos”Lobão / Bernardo Vilhena / Julio3:27
5“Tudo de Novo”Ricardo Feghali / Nando3:31
6“E Você o Que é Que Faz?”Serginho Herval / Feghali2:40
7“Dona”Sá & Guarabira4:02
8“Feito Pra Sonhar”Nando / Massadas4:28
9“Linda Demais”Kiko / Paes4:42
10“Um Caso Louco”Kiko / Feghali2:59
11“Sonho”Serginho / Nando4:29

Duração: 40:55
Produção: Guti
Gravadora: Sony Music

Roupa Nova
Roupa Nova – A Viagem. FOTO: JOSÉ LUÍS PEDERNEIRAS

Roupa Nova e suas trilhas sonoras de novela

Vamos falar dos principais sucessos do Roupa Nova nesse disco, que já abre com “Show de Rock N’ Roll”, uma das canções mais agitadas do disco e cantada por Paulinho. A composição é da dupla Michael Sullivan e Paulo Massadas, que colaborou em outras canções da carreira do Roupa Nova. A letra da canção é falada do ponto de vista de um cara que só pensa em rock, mas sua namorada em outras coisas como astrologia, ocultismo, estudos, dentre outras coisas. Porém, na hora H, eles se dão bem e dá tudo certo, com num show de rock n´roll.

Outra canção marcante vem logo a seguir, “Seguindo no Trem Azul”, belíssima canção que tem os vocais de Serginho Herval e mostra bem todo o talento que o Roupa Nova tem para gravar canções que grudam na sua cabeça, com melodias e versos bem trabalhados, facilmente identificados e com uma levada romântica bem ao estilo da banda. A letra é sobre uma história de amor onde eles fazem correlações com uma viagem de trem, um trem azul. Essa canção foi trilha da novela “Carinha de Anjo” (2016) do SBT.

Continuando a falar do disco, a próxima canção se tornou um dos maiores sucessos da carreira do grupo, “Dona”, que foi escrita e gravada pela dupla Sá & Guarabira, mas foi regravada pelo Roupa Nova nesse trabalho. É mais um estilo clássico do grupo, letra que fala de amor, melodia que grudava na cabeça do ouvinte e pronto, mais um hit nacional. Um fato que ajudou e muito o sucesso da música foi o fato dela ter sido trilha da novela “Roque Santeiro” (1985) da Rede Globo, tanto que “Dona” foi a segunda canção mais tocada nas rádios brasileiras no ano de 1985. Em 2014, a canção foi novamente incluída em uma trilha de novela global, dessa vez em “Império”.

Para finalizar os grandes hits do álbum, temos “Linda Demais” que muita gente conhece apenas como “Linda”, outra canção com a marca romântica do Roupa Nova e com os vocais do saudoso Paulinho. A canção foi trilha sonora do filme “Bingo: O Rei das Manhãs” (2017) e também regravada pelo sertanejo Eduardo Costa em 2005.

Outras canções de destaque são: “Corações Psicodélicos” cover do roqueiro Lobão e “Feito Pra Sonhar” que conta com a participação da atriz Tássia Camargo.

O fantástico GUILHERME ARANTES, com “Despertar” (1985), clássico da MPB

RITCHIE e seu emblemático “Vôo de Coração”.

“Tema da Vitória” ficou associada a Ayrton Senna

O que podemos afirmar é que após a venda de dois milhões e duzentas mil cópias, “Roupa Nova 1985” foi o disco divisor de águas na carreira do grupo, ganharam discos de ouro, platina e platina duplo. A partir dali vieram dezenas de hits, mas antes a banda já era conhecida por ter criado algumas trilhas sonoras marcantes como o “Tema da Vitória” (1981), feito por encomenda para a Rede Globo e muito associada às vitórias do piloto Ayrton Senna. Outras muito conhecidas são o tema do “Vídeo Show” (1983) da Rede Globo e o tema do “Rock In Rio” (1984), detalhe, a banda sequer foi chamada para o evento, esse erro só seria corrigido em 1991.

Apesar de todo o sucesso popular, o Roupa Nova sempre foi desrespeitado e esnobado pela crítica, sendo taxado de banda com músicas descartáveis, sucessos passageiros, tanto que recebeu o termo “Som Asa Delta”, para exemplificar seu tipo de som pop, que segundo alguns críticos era sinônimo de fracasso. O detalhe é que os grandes artistas nacionais sempre queriam os músicos do Roupa Nova em suas gravações de estúdio, em virtude do extremo profissionalismo e talento dos integrantes. O tempo mostrou quem é quem na história da música.

E assim seguiu o Roupa Nova, estamos em 2021 e eles continuam na ativa há mais de 40 anos, impactados pela perda devastadora de Paulinho, o grupo segue produzindo e mantendo seu lugar cativo no coração dos brasileiros, mas jamais devemos esquecer que essa sinergia entre banda e público aflorou ainda mais após esse disco de 1985, um clássico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *