30 Anos sem Freddie Mercury, a lenda!

FREDDIE MERCURY, DE ONDE VEIO?

Em primeiro lugar, vamos lembrar que em 05.09.1946, Farrokh Bulsara nasceu em Stone Town, capital de Zanzibar, hoje parte da Tanzânia, país africano. Freddie era de origem persa.

Uma curiosidade, Freddie nasceu com quatro dentes a mais. Geralmente os adultos nascem com 28 dentes (32 considerando os sisos) e ele nasceu com 36 com os dentes sisos.

Contudo, morou muito tempo na Índia, onde começou a ter aulas de piano e na adolescência formou uma banda chamada Hectics e foi nessa época que começou a ser chamado de Freddie, aos doze anos.

MUDANÇA PARA A INGLATERRA

Então, Freddie mudou-se com sua família para a Inglaterra em 1964, pois queriam fugir da violência da revolução contra o sultão de Zanzibar e o governo em sua maioria árabe.

Logo estava estudando artes em escolas de ensino superior londrinas, formando-se em artes gráficas e design no ano de 1969. Após se formar, vendeu roupas no Kensington Market e lá conheceu Roger Taylor.

Em seguida, arrumou outro emprego como carregador de bagagens no aeroporto de Heathrow, mas gostava mesmo de música e logo iria ingressar em bandas locais.

A banda Ibex, que logo foi renomeada para Wreckage, foi uma das primeiras que Freddie se aventurou, depois veio a Sour Milk Sea, até que veio a banda Smile e lá ele conheceu Brian May e John Deacon. Grande mudanças estavam por vir.

ADEUS SMILE, NASCE O QUEEN

Em 1970, os amigos formaram o Smile, mas logo esse nome seria trocado por Queen, pois Freddie achava que “Queen” era um nome forte, imponente e universal. Nessa mesma época ele começou a usar como sobrenome, Mercury.

Paralelamente, foi ele quem desenhou o lendário logotipo do Queen, usando suas habilidades gráficas e juntou os signos dos integrantes da banda: Leão (Deacon e Taylor), Câncer (May) e Virgem (Mercury), além do brasão real do Reino Unido.

Frequentemente, as composições do grupo eram feitas por Mercury, que unia vários estilos diferentes e logo percebeu-se que a sua voz era diferenciada, com uma extensão vocal a nível de tenor.

AO VIVO ELE ERA O CARA

As apresentações ao vivo do Queen eram únicas, espetaculares, muito graças à Freddie que simplesmente dominava o público com seu estilo teatral, performático. Virou uma lenda.

Acima de tudo, ele era capaz de chocar, provocar, encantar e emocionar seu público de forma incrível, fazia extravagâncias dele mesmo no palco.

COM O QUEEN: 1970-1991 E TRABALHOS SOLO

Os anos com o Queen foram mágicos, foram a maior banda do mundo por anos, venderam milhares de discos e ganharam o amor dos fãs durante essa trajetória grandiosa.

Vale lembrar que jamais a banda se separou. Mesmo tendo lançado discos solo, Freddie nunca deixou o Queen e sequer cogitava essa possibilidade.

A AIDS E O INFERNO DA IMPRENSA

Nesse meio tempo, Freddie Mercury foi diagnosticado com AIDS em 1987, o que se viu depois foi uma verdadeira perseguição pública ao astro, que aparentava um estado de saúde cada vez pior.

Logo, os tabloides ingleses perseguiam Freddie em todos os cantos, pois a banda parou de fazer turnês. Ele gravou canções o máximo que pôde, pois sabia que tinha pouco tempo de vida.

Ainda assim, perto do fim da vida, perdeu a visão e escolheu acelerar sua morte, decidindo não tomar mais os remédios e só os analgésicos.

A realeza chegou com “The Game” e o lendário QUEEN!

MORRE A ESTRELA E NASCE A LENDA

Por fim, Freddie Mercury morreu de pneumonia em 24.11.1991, aos 45 anos, apenas 24 horas após uma declaração pública dizendo que tinha AIDS. Houve uma comoção mundial com a notícia.

Ele foi cremado e apenas sua amiga Mary Austin, familiares e os amigos do Queen, sabem onde estão as suas cinzas.

Morreu Farrokh Bulsara, imortalizado como Freddie Mercury, porém, ali nascia uma lenda e como ele mesmo disse antes: “Eu não serei uma estrela do rock, serei uma lenda!”. Virou uma lenda.

FOTO: TERRA.COM.BR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *