A história de Elvis Presley, o “Rei do Rock”

Em 08.01.1935, nascia Elvis Aaron Presley, na cidade americana de Tupelo, que fica no estado de Mississipi, gêmeo de seu irmão Jesse Aaron Presley, que infelizmente não sobreviveu ao parto. Seus pais chamavam-se Vernon Elvis e Gladys Love Presley, e em novembro de 1948 mudou-se para a cidade de Memphis, no estado do Tennessee. Era uma família de origem pobre e humilde.

Seus pais eram membros da igreja Assembléia de Deus, viviam dentro dos bons costumes, cristãos e sociais, Elvis teve sua infância marcada por muitas dificuldades financeiras.

As influências de Elvis Presley

Aprendeu os primeiros acordes no coral da igreja evangélica e foi fortemente influenciado pela música negra (Blues) e pela música country, tanto que, aos 12 anos, Elvis recebeu do seu pai sua primeira guitarra e seus tios Johnny Smith e Vester Presley lhe ensinaram a tocar.

Mesmo com toda dificuldade financeira da família, Elvis sempre estudou em bons colégios e já aos 15 anos começou a trabalhar como lanterninha de cinema, depois como empacotador em supermercado, ajudante de posto de gasolina até se empregar como motorista de caminhão.

O estilo excêntrico do Rei do Rock

Presley gostava muito das roupas usadas nos anos 50 e 60, um tanto quanto excêntricas até. Além do fato dele adorar usar topete bem grande. Um detalhe: Elvis Presley era loiro e pintava seus cabelos de preto.

Também usava costeletas e isso tudo somado ao seu famoso “rebolado”, que virou uma de suas marcas registradas e impactou muito naqueles tempos, já que o público não conhecia. Elvis ganhou o apelido “Elvis, The Pelvis”, justamente por isso.

A primeira gravação foi presente para a mãe de Elvis

Naquela época, a partir de quatro dólares você conseguia gravar um compacto de vinil, isso era muito comum pois existiam várias mini gravadoras em todo o território norte-americano e Elvis procurou a gravadora Sun Records pretendendo gravar duas canções: “My Hapiness” e “That’s When Your Heartches Begin”, como presente para sua mãe.

Suas canções agradaram em cheio Sam Philipps, chefe da Sun Services, que estava a procura de um cantor branco que cantasse música negra e pouco tempo depois Elvis gravou “That’s All Right” e “Blue Moon of Kentucky”, canções fundamentais para seu inicio de carreira e gravadas de forma totalmente despretensiosas, mas Sam Phillips sentiu que o estilo iria dar frutos… e deu.

Seu estilo diferenciado e uma voz belíssima, encantaram o público e dali em diante Elvis Presley começava a fazer história. Já em 1955 foi contratado pela gravadora RCA Victor. Logo vieram os grandes shows, apresentações em programas de televisão e sua popularidade começava a crescer rapidamente.

Já em 1956, com o disco “Heartbreak Hotel” alcançou a incrível marca de nove milhões de cópias vendidas.

O encontro com Priscila (Presley), consagração e sucesso de Elvis

Seu estilo combinava com o novo ideal da juventude da época, uma geração que adorava a velocidade e patriotismo. Em 1958, Elvis foi prestar o Serviço Militar e isso contribuiu muito para que a saúde de sua mãe piorasse, ela que já tinha seríssimos problemas.

Gladys Love viria a falecer em 14.08.1958 vítima de insuficiência cardíaca. Em todos os seus shows o Rei do Rock cantava alguma música gospel em homenagem à sua amada mãe.

Depois disso Elvis foi servir na Europa, mais precisamente na Alemanha e por lá ficou até 1960 e foi nessa época que outro fato marcaria sua vida para sempre, foi lá que ele conheceu uma mulher muito importante em sua vida, Priscila Ann Wagner, então com apenas 14 anos (Elvis com 24), que seria sua futura esposa Priscilla Presley.

Carreira cinematográfica de Elvis Presley ajudou a vender discos

Passado o período de sucesso do rock entre os anos 50 e 60, Elvis foi um dos poucos daquela geração que continuava a fazer sucesso, tanto vendendo discos quanto em sua nova empreitada, a carreira no cinema.

Fez vários filmes e com boas bilheterias, um total de 33 filmes e os mais lembrados são “Love Me Tender”, “Viva Las Vegas”, “Jailhouse Rock” e “No Paraíso do Hawaii”.

Dia do Rock: ELVIS PRESLEY e a coletânea “ELV1S: 30 #1 Hits”.

THE BEATLES com o maravilho Abbey Road.

A separação de Piscila Presley e o clássico “Always On My Mind”

Durante os anos posteriores, Elvis realizou grandes shows em vários locais diferentes. Dentre eles Las Vegas e o lendário Madison Square Garden, em New York. Nessa fase, ele gravou um de seus álbuns mais importantes: “From Elvis in Memphis”, de 1969. No álbum há clássicos como “In The Guetto” e a lendária “Suspicious Minds”.

Já em 1973, Elvis separou-se de Priscilla. Esse foi duro golpe na carreira do Rei e do qual ele jamais se recuperaria. Pouco tempo depois ele gravaria “Always On My Mind” em homenagem à Priscilla.

O declínio da carreira e a morte de Elvis Presley em 1977

O Rei do Rock usou por vários anos medicamentos de forma descontrolada. Aos poucos isso foi minando sua saúde. Além dos barbitúricos e tranquilizantes, abusava de drogas com frequência.

Elvis se recusava a fazer tratamentos. Estava muito acima do peso, deprimido e ainda fazendo muitos shows. O seu último show foi em 26.06.1977, no Market Square Arena em Indianápolis.

Elvis Presley morreu em 16.08.1977, aos 42 anos, vítima de um ataque cardíaco, em sua mansão em Graceland, Memphis (EUA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *